YO MTV RAP’s celebra seus 30 Anos de Existência no Barclays Center e anuncia seu retorno ao ar

Movimento Cultural Hip Hop

Na noite de sexta-feira (1°), mais de 25 Rappers, DJs entre outros representantes do HIP-HOP Norte-americano se reuniram no Barclays Center, no bairro do Brooklyn, em Nova York, para comemorar o 30º Aniversário do “YO! MTV Raps”, icônico programa de HIP-HOP exibido pelo canal “MTV” de 6 de agosto de 1988  a 17 de agosto de 1995.

Veja também: Chuck D critica Kanye West por apoiar Trump em seus Tweets

 

 

Durante o evento, a emissora aproveitou o ensejo de comemoração para informar oficialmente que dentro dos próximos meses irá “relançar o ‘YO!’ de alguma forma”. Ainda sem maiores detalhes sobre como será este retorno, uma grande possibilidade cogitada pela MTV será “através de plataformas lineares e digitais”.

Em pleno século XXI, onde a forma de comunicação do planeta se tornou mais globalizada com a “Era Digital”, a notícia da majestosa volta do “Yo!” parece surpreendente para um programa de televisão de três décadas, em um canal que há muito tempo notabiliza seu abandono parcial daquilo que havia declarado sua razão existência: a “música”.

Clica aqui: RACIONAIS se torna Leitura Obrigatória no Vestibular UNICAMP 2020

Neste caso, não seria exagero algum dizer que a ascensão do HIP-HOP ao seu status atual no mundo e sua posição dominante na Cultura Pop, se deu em 1988, graças à visibilidade oferecida pela MTV, por meio de três VJs e um catálogo de vídeos musicais inéditos, o que fez do programa a mais importante plataforma de lançamentos do HIP-HOP entre o final dos anos 1980 e toda a década de 1990, como relembra muito bem o historiador de HIP-HO, ex-artista de Graffiti e primeiro VJ do Yo! “Fab 5 Freddy”, em entrevista so jornal “amNewYork”:

“A música RAP não estava sendo tocada regularmente no mainstream das rádios nessa época”, diz Fab. “amNewYork”, que se tornou um dos primeiros nomes reconhecidos do meio, graças ao seu envolvimento com toda a cena efervescente do Gueto no início de tudo.

Horóscopo Carnavalesco

No entanto, sobre essa relação regada à flores entre a MTV e o HIP-HOP, no passado, durante o início das primeiras exibições da emissora, a história não nem sempre foi assim para o produto da música Afro-americana, como relatou o radialista e executivo de gravadoras “Dan Charnas” em entrevista ao amNewYork:

“A MTV começou sua vida essencialmente como um análogo ao Rádio Rock segregador”, diz Charnas, autor de “The Big Payback: A História e Negócios do Hip-Hop” e creditado como tendo desempenhado um papel notável na criação do “jornalismo HIP-HOP”. “Durante a maior parte da década de 1970, a rádio FM se tornou quase segregada, ao longo das linhas raciais. Onde você teria ouvido ‘Led Zeppelin’ e ‘Stevie Wonder’ tocando um ao lado do outro, você só ouvia Led Zeppelin. As pessoas que fundaram a MTV eram pessoas de rádio daquele mundo”, critica.

Dê uma olhadinha: Farufyno estende o tapete vermelho para Carlos Dafé na Virada Cultural de Sampa

Desde os primeiros dias da MTV em 1981, os artistas brancos tiveram caminho livre na grade de programação da emissora. “David Bowie”, por sua vez, agiu de forma imprevista ao normal e veio na contramão ao questionar a emissora durante uma entrevista, dizendo:

“Estou apenas impressionado com o fato de que há tão poucos artistas negros nela [MTV].”

De acordo com Charnas, foi preciso a ameaça de um boicote feito pela “CBS Records” para retirar o clássico de “Billie Jean” de “Michael Jackson” do ar, para a MTV rever seus conceitos mercadológicos. Mas mesmo depois de artistas como Jackson e Prince começarem a fazer o airplay, ainda parecia haver pouco espaço para artistas Afro-americanos de outros gêneros como o RAP [leia o livro “Acorda HIP-HOP” (site “Estante Virtual’)].

Vale a pena ver de novo: The Godfather – Descansa em Paz mais um representante do HIP-HOP

“A primeira grande atração para mim foi tentar dar uma olhada no que Michael Jackson estava fazendo quando ‘Thriller’ aconteceu”, diz Fab. “Um pouco mais tarde, você passou a ouvir que eles não estavam tocando um monte de música negra, e isso não foi uma coisa legal, quando percebi isso”.

Ainda demorou algum tempo para a MTV positivar sua relação com a Comunidade Negra, até que o recém-promovido diretor e produtor “Ted Demme”, teve a liberdade de idealizar um programa que viesse a atender o crescente público do HIP-HOP. Foi então que Ted, ao lado de seu assistente “Peter Dougherty”, um antenado nativo da cidade de Nova York, consegue moldar a cultura de programação da MTV em seu auge, em meados da década de 1980, dando origem a um programa focado na música RAP, um gênero que foi amplamente ignorado nos canais da emissora na época. Sendo assim, em 6 agosto de 1988, quando o piloto desenvolvido pela dupla de produtores foi transmitido pela primeira vez com o nome “Yo! MTV RAP’s”, ambos conseguiram provar ser este um dos programas de classificação mais alta da história da emissora, que contou em sua e estréia com a apresentação inusitada do grupo “Run-DMC”, que após convidarem a dupla “DJ Jazzy Jeff and the Fresh Prince” [que depois passou a se chamar “Will Smith”], para anunciar o primeiro vídeo do programa – “Eric B and Rakim“ e o hit de “Follow the Leader”, não mais saiu do ar da MTV, como relembra Charnas:

“Ele faz sua estréia e supera suas expectativas”, diz. “Assim como todo filme preto que sai em Hollywood – ‘Oh meu Deus! Eu não sabia que havia mercado para isso!'”, ironiza referindo-se à falsa inocência da MTV na época.

Aberta inscrições para o ‘Samba de Quadra’ da Tradição

No entanto, o Run-DMC não deixaria sua promissora carreira de turnê para se tornar VJs de um programa de videoclipes de RAP, então Dougherty teve logo a grande idéia de quem poderia assumir: “Fab 5 Freddy”, um grafiteiro e pioneiro do HIP-HOP. A livre acessibilidade de Fab junto à cena das ruas logo levaria “YO!” aos próprios artistas e ao público de fãs espalhados por todas as partes do país. E um dos episódios particularmente memoráveis, talvez tenha sido Fab entrevistando o “NWA” na traseira de uma caminhonete em Compton, bairro natal do grupo, localizado em Los Angeles, com os rappers vestindo coletes à prova de balas, como recorda o ex-apresentador:

“Foi a maior surpresa quando eles me procuraram para ser o anfitrião de um show de RAP. Eu fiquei tipo ‘Huh? Eu? O quê?”, diz Fab. “Houve uma pequena hesitação… Eu não queria ser mais um daqueles VJs sentados em uma sala com esses estranhos planos de fundo. Eu ficaria mais confortável se eu pudesse estar na rua, se eu pudesse ir de onde a música estava vindo, sendo que eu entendia a Cultura HIP-HOP, eu sabia que os caras estavam fazendo música em seus porões e seus quartos e como eles viviam. Era um reflexo do que a música deles era”, explica Fab “5” Freddy buscando ser mais orgânico com o HIP-HOP.

Clipe oficial GRES Unidos da Ponte

Após o sucesso inicial da edição de fim de semana de Freddy, a emissora estava ansiosa para expandir “YO!” pelos espaços da grade de sua programação. Mas Fab não queria se tornar o VJ residente de uma versão diária do programa. Então a MTV trouxe para o time “Doctor Dré” [que atuou como DJ na WBAU, a estação de rádio da Universidade Adelphi, em Garden City, Nova York e posteriormente integrante de um grupo contratado pela “Def Jam Records” – o “Original Concept”] e o rapper, ator , músico, personalidade de rádio “Ed Lover” para apresentarem diariamente o “YO! MTV Raps”.

Algum tempo depois, a MTV, buscando daquirir mais experiência no inédito campo do HIP-HOP, passou a apresentar a música RAP por pelo menos um pequeno bloco, seis dias por semana. Combinado com o timing do programa – do final dos anos 1980 até 1995, foi uma grande parte do que seria chamado de “Golden Era do HIP-HOP” – o perfil da música RAP começou uma ascensão astronômica, como declarou o rapper “Erick Sermon” ao amNY:

“Eu tive a chance de ver ‘MC Lyte’, ver ‘KRS-One’, ver ‘Eric B. e Rakim’, uma chance de ver ‘Kool G Rap and DJ Polo’, ‘NWA'”, diz Sermon, que apareceu no programa tanto quanto a metade de vezes que sua dupla “EPMD” e, mais tarde, como artista solo. “‘YO!’ Era algo que você não podia esperar para ver, porque você era fã também”, revela o rapper.

Movimento Cultural Hip Hop

Aqui no Brasil, o programa ganhou sua versão nacional e entrou no ar oficialmente no dia 21 de outubro de 1990, apresentado pelo ex-membro do grupo de RAP “SP Funk”, “Primo Preto”. Em 1996 foi a vez do ex-integrante da banda “Mamelo Sound System”,
“Rodrigo ‘P-Funk’ Brandão” assumir o controle da cabine. Em 1998, o DJ do grupo “Racionais MC’s”, “KL Jay” pega a responsabilidade do programa e em 2001 passa a guarda para o Rapper “Thaide”. Em 2007 o Yo! passa por reformulações na grade da MTV-Brasil, que reduziu o espaço da programação dedicado à música, causando sua longa entressafra até 2013, quando retornou com a VJ “Pathy DeJesus”, que apresentava o “Top 10 MTV”, e apresentou o “Yo!” durante o mês de agosto, do dia 6 até o dia 27. Ainda no ano de 2013, em 19 de setembro, uma programação especial dedicada ao RAP foi realizada com exibição de videoclipes, documentários e a entrevista do cantor “Tim Maia”. Também foi exibido o especial “O Último Yo! MTV”, com a apresentação de “Pathy DeJesus”, que contou as participações especiais de KL Jay, Thaíde, Negra Li entre outros, declarando deste modo a extinção definitiva do programa no Brasil…..

Esperemos que dessa nova decisão da MTV Norte-americana, bons ventos soprem na direção da América do Sul!!

Paz e Respeito!!

 

Clica no play pra ver!

 

TAGS: Jornalista Anderson Lopes é convidado para a Festa das Baianas da Portela  Saia com fenda é destaque na moda carioca Dias Gomes será enredo da UPM  Pacificadores lança mais um hit no mundo do rap  Publicitária cria calendário que traz mulheres lindas na menopausa  Sexta edição Projeto Itinerante Samba Bom  Movimento cultural hip hop

 

Por: DJ “Zulu” TR.

Fan Page: Acorda Hip Hop – Trilogia

Comentários estão fechados.