Resistência! 11ª Caminhada em Defesa da Liberdade Religiosa, dia 16 de setembro, às 11h, na Orla de Copacabana

Intolerâncias, preconceitos, descriminação e racismo

A Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR) e o Centro de Articulação de Populações Marginalizadas (CEAP) realizam a 11ª Caminhada em Defesa da Liberdade Religiosa, dia 16 de setembro, às 11h, na Orla de Copacabana.

Veja também: Celebridades! Shayene Cesário recebe Adriana Bombom em inauguração de loja

 

 

Desde o ano de 2008 a Caminhada em Defesa da Liberdade Religiosa, vem se firmando como uma ação inter-religiosa, que busca fortalecer as lutas em prol da tolerância no Brasil. Construindo um forte processo de resistência cotidiana contra todas as formas de intolerâncias, preconceitos, descriminação e racismo.

E o domingo, de 16 de setembro, acontece a 11ª Caminhada, onde contará com a participação de diversos grupos culturais, como os Ogãns kotoquinho e Bambala, Padre Marcos Miranda, grupo de dança As de Ouro, Banda Papo de Amigo e outras atrações. Além da ilustre presença do Padre Fábio de Mello, Pastor Kléber Lucas, entre outros.

Vem ver: Quem disse que mulher não pode usar corrente, Jojo Todynho adere ao “correntismo” que vira hit entre famosas

 

 

A Comissão, que tem em seu cerne diversos adeptos religiosos, deverá reunir mais de 200 mil pessoas, em prol da pluralidades, humanidades e liberdade religiosa, dentre representantes do candomblé, umbanda, bases evangélicas, católicos, budistas, muçulmanos, judeus, wiccanos, hare krishnas, ciganos, mórmons e outros segmentos. Representantes de outras regiões também marcam presença, oriundos da Bahia, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Amazonas.

Nos últimos dez anos, a CCIR em parceria com o CEAP, vem chamando a atenção da sociedade e das autoridades públicas para o perigo da construção de um estado teocrático em um país constitucionalmente laico como o Brasil.

Confira: Portela lança nova marca

 

 

“Ao longo dos anos – a Caminhada, evidencia e denuncia os violentos casos de intolerância religiosa, que ainda vem crescendo assolando a sociedade religiosa. Não pudemos nos esquecer que a liberdade religiosa é um direito constitucional garantido à todos. A intolerância religiosa é uma verdadeira ameaça ao estado democrático de direito, por isso, precisamos continuar caminhando e dialogando para que juntos possamos construir um estado em que todas as diferenças possam ser o ponto de união e jamais de separação e discriminação”

atesta o Prof. Dr. Babalawô Ivanir do Santos, que é interlocutor da CCIR.

Ivanir é um árduo defensor dos direitos humanos e do direito à liberdade de culto, o babalawô, vem liderando diversas ações em prol da liberdade religiosa no Brasil. Com o objetivo de promover ações sociais contra todas as formas de violência. Dentre os seus trabalhos de maiores ressonâncias, destaque para o livro bilíngue “Intolerância Religiosa no Brasil – Relatório e Balanço”, publicado pelo CEAP, em parceria com a editora Kline, pontuando os casos dos últimos 10 anos de intolerância religiosa no Brasil; o curso Multiplicadores no Combate à Intolerância Religiosa; curso de Pós-graduação em Estudos sobre Pluralidade e Intolerância Religiosa e a criação de grupos de Estudos Sobre História Social da Intolerância na Contemporaneidade, grupo vinculado ao Laboratório das Histórias das Experiências Religiosas (LHER) da Universidade Federal do RJ – (UFRJ)

Clica aqui: Beleza Afro! Blogueira Camila Nunes lança primeiro livro para peles negras

 

 

“Pela sexta vez, a Caminhada pela Liberdade Religiosa, acontecerá às vésperas das eleições. Por isso, precisamos ficar atentos para o atual situação política e social do país. Pois, os retrocessos, pelo qual estamos passando, seja ele político e social, é uma verdadeira ameaça para tudo o que conquistamos nos últimos dez anos de luta em prol do estado laico e da liberdade religiosa. Religião e políticas precisam sempre ser pensadas e discutida, mas nunca sobrepostas!”

Alerta Ivanir dos Santos.

“Precisamos refletir, nos últimos anos, várias propostas, como o Plano Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, foram apresentadas pela sociedade civil e pouco foi feito nesse sentido, por parte do poder público, para a diminuição dos casos de intolerância religiosa”

completa Ivanir.

Vale a pena ver de novo: Longe da agitação da cidade grande, Nubia Oliiver posa na fazenda

 

A concentração será no Posto 6 – Esquenta com apresentação de diversos seguimentos religiosos – Foto: Henrique Esteves

 

Rememorando – Em 21 de setembro de 2008, milhares de adeptos religiosos, simpatizantes, caminharam juntos em prol da liberdade religiosa no Brasil e pelo fim da intolerância. Evento inter-religioso e talvez o mais significativos para história do Brasil – o reconhecimento histórico das religiões de matrizes africanas. Nascendo assim a CCIR, criada após traficantes de drogas, que se diziam evangélicos, da Ilha do Governador, ZN do Rio, expulsaram integrantes de matriz africana de suas casas. Os bandidos foram convertidos à segmentos neo-pentecostais dentro de presídios e, ao ganharem liberdade, proibiram o “Povo de Santo” de dar continuidade a seus encontros e assistências religiosas.

Em seguida, foi organizado um protesto nas escadarias da Assembléia Legislativa com o intuito de chamar a atenção das autoridades públicas para os casos de cerceamentos das liberdades. Após o episódio, a CCIR agiu novamente, e assim nasceu a 1ª Caminhada, onde reuniu no mesmo ano cerca de 30 mil pessoas. No ano seguinte, em 2009, recebeu 80 mil pessoas. Em 2010, 120 mil pessoas protestaram contra os preconceitos ligados à fé. Já na 4º Caminhada, computou 180 mil pessoas, que aderiram a luta da CCIR. A 5ª Caminhada em defesa da liberdade religiosa, registrou em torno de 150 mil pessoas. Nos anos seguintes, nas 6ª, 7ª, 8ª e 9ª, somou em torno de 150 mil participantes. No ano passado, a 10ª reuniu mais de 100 mil pessoas na Orla de Copacabana.

Dê uma olhadinha: Projeto “Velha Guarda Musical da Mangueira, canta Geraldo Pereira”, com Zeca Pagodinho na música

 

 

11ª Caminhada em Defesa da Liberdade Religiosa

Dia: 16 (domingo) de setembro – Das 11h às 18h

Local: Orla de Copacabana

Grade da agenda: 11h – Concentração no Posto 6 – Esquenta com apresentação de diversos seguimentos religiosos, com o início da Caminhada, a partir das 13h, acompanhada de trio elétrico, que segue até Praça do Lido, com atrações e cantorias. Finalizando às 18h

 

Em tempo:

– Estações de Metrô para o evento: Siqueira Campos, Cardeal Arcoverde e Cantagalo.

– Será coibido o uso de bebida alcoólica.

Comissão de Combate à Intolerância / CCIR

Centro de Articulação das Populações Marginalizadas / CEAP

 

TAGS: Shayene Cesário inaugura loja  Jojo Todynho adere a moda do correntismo  Portela lança nova marca  Camila Nunes lança 1º livro para pele Afro  Ana Paula Evangelista brilha em Londres  Uma advogada ou uma advogada negra Ivo Magalhães lota casa de show   Nubia Oliiver fala de depressão  Horóscopo Carnavalesco – semana de 10 a 16/09  Movimento Cultural Hip Hop  Lançamento da grife kaba Léwà  Tucuruvi lança samba de enredo e coroa nova rainha  Jessica Felix provoca em ensaio sexy   MC Dois L a nova aposta do funk  Unidos da Tijuca: clipe oficial da parceria de Totonho e Cia  Lívia Andrade é a nova musa da Paraíso do Tuiuti  2ª Caminhada da Diversidade Religiosa da Zona Oeste  Cinco sambas disputam a vaga na final da Estácio  Anderson Lopes levará o segundo Troféu Destaques do Carnaval 2018  Bermuda Jeans Destroyed continua em alta para 2019  

 

– Rozangela Silva –

Assessoria de imprensa

Comentários estão fechados.