Theatro Municipal do Rio às vésperas da Independência do Brasil” é o tema da Campanha #AulaEmCasa

#CULTURAPRESENTE

“Setembro, 1931: a estreia da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro às vésperas da Independência do Brasil” é o tema da Campanha #AulaEmCasa com Fátima Cristina Gonçalves, Chefe do Centro de Documentação do Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

 

 

Um presente para o Brasil! Na próxima segunda, feriado de 07 de setembro, o Theatro Municipal do Rio de Janeiro prepara uma grande surpresa ao público. A Campanha #AulaEmCasa, com o patrocínio Ouro Vale e Petrobras, vai apresentar um pouco de história de uma das mais importantes orquestras do país e destacar a estreia da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal às vésperas da Independência do Brasil, em 05 de setembro de 1931.

Nossa, Arraso! Eliana Amaral

 

 

O acervo também desvendou alguns segredos do maestro Francisco Braga, o primeiro maestro titular do Municipal.

Vamos a mais uma Live da 13ª Caminhada em Defesa da Liberdade Religiosa

 

 

Francisco Braga, compositor e professor do Instituto Nacional de Música, foi aluno de Massenet, na França, e participou ativamente da história do Municipal desde os seus primeiros anos: foi o maestro que mais regeu concertos no Theatro até por volta de 1935. Comandou o espetáculo de estreia, em 14 de julho de 1909, e foi, juntamente com Nepomuceno, o maestro que lançou, em seus concertos, a música do compositor Heitor Villa-Lobos. Braga foi um dos maiores responsáveis por termos, hoje, o Coro e a Orquestra Sinfônica, pois participou da Comissão, nos anos 30, para o estudo da implementação dos Corpos Estáveis do Theatro. Como merecido reconhecimento, foi nomeado o 1º maestro da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, cargo que exerceu de 1931 a 1934, quando se afastou por problemas de saúde.

Vai uma cervejinha aí? Acompanhe a programação Bar do Zeca Pagodinho – Em Casa!

 

 

Tito Schipa, um dos maiores tenores italianos da primeira metade do século XX, era um fenômeno. Digamos que o artista fosse o Pavarotti da época. A participação de Tito Schipa no concerto de estreia da Orquestra do Municipal, foi  mesmo um acontecimento que marcou a história.

Quem comandará a aula será a pesquisadora Fátima Cristina Gonçalves, Chefe do Centro de Documentação do Municipal. Inicia às 14h, no Instagram do Theatro Municipal do Rio de Janeiro (@theatromunicipalrj) Então, já tem um programão para o feriado de segunda. Amplie o seu conhecimento e assista a #AulaEmCasa.

 

Sobre Fátima Cristina Gonçalves 

 

Mestre em História pela Universidade Federal Fluminense, pós-graduada em Administração Pública e especialista em documentação. É chefe do Centro de Documentação do TM desde 2015. Dirigiu o Museu do Ingá e o Museu dos Teatros do Rio de Janeiro. Professora do ensino superior desde 2000.

 

 

Serviço:

Campanha #AulaEmCasa com Fátima Cristina Gonçalves, Chefe do Centro de Documentação do Theatro Municipal do Rio de Janeiro em “Setembro, 1931: a estreia da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal RJ às vésperas da Independência do Brasil”

 

Data: 07 de setembro – segunda-feira

Aula on-line às 14h

 

Plataforma: Instagram @theatromunicipalrj

Patrocínio Ouro @valenobrasil e @petrobras

 

 

 

 

 

-Cláudia Tisato-

Assessoria de Imprensa

 

 

 

 

Comentários estão fechados.