PARTY PEOPLE… Afrika Bambaataa, O Godfather do HIP-HOP completa 61 Anos em sua essencial existência!!!

Movimento Cultural Hip Hop

É impossível falar de HIP-HOP sem pronunciar o nome de AFRIKA BAMBAATAA

Enquanto muitos no bairro do BRONX reivindicam seu lugar na construção deste contagiante Movimento Cultural que conquistou o Planeta, confundindo a compreensão de seus adeptos quanto à sua data oficial de fundação, convido você à embarcar em direção ao CONHECIMENTO sobre o que realmente vem a ser HIP-HOP, a partir de Bambaataa.

Veja também: Homenagem – Salve Dona Yvone Lara

Muitas foram as valiosas contribuições de grandes personalidades, hoje eternizadas na história desse Movimento. Alguns creditam a crucial REUNIÃO PELA PAZ DA HOE AVE [Hoe Avenue Peace Meeting], em dezembro de 1971, promovida pelo presidente da street gang GHETTO BROTHERS, o lendário YELLOW BENJY – que reuniu representantes de mais de 40 organizações das ruas da região – como o MARCO ZERO DO HIP-HOP; enquanto outros defendem a memorável festa dos 16 anos de idade da ilustre CINDY CAMPBELL, organizada por seu irmão, o também ilustre KOOL HERC, no dia 11 DE AGOSTO DE 1973, no playground do prédio em que sua família residia na 1520 SEDGWICK AVENUE [hoje HIP-HOP AVE, reconhecida pelo Prefeito de Nova York no início de 2015] como sendo o pontapé inicial de toda a gloriosa saga do HIP-HOP. No entanto, ter importantes ações positivistas eclodindo no pós-apocalíptico cenário do SOUTH BRONX, sem um MAESTRO para orquestrar um Movimento Cultural composto de princípios e valores extraídos do ambiente rarefeito das ruas, certamente ainda não teríamos em plena era da globalização, notícias de toda a genialidade do HIP-HOP.

BAMBAATAA esteve presente na REUNIÃO DA HOE AVE, enquanto WARLORD da divisão YOUNG SPADES (BLACK SPADES); esteve na festa de CINDY, após sua excursão por alguns países africanos – onde teve o privilégio de conhecer a TRIBO ZULU na ÁFRICA DO SUL [sociedade na qual NELSON MANDELA era membro], depois de ter conquistado em sua escola o primeiro lugar no CONCURSO DE REDAÇÃO ESCOLAR promovido pela UNICEF.

Nascido em 17 de Abril de 1957, filho de imigrantes caribenhos, “Kevin Donovan” foi criado no South Bronx por sua mãe e tio, ambos membros do BLACK PANTHER PARTY [“Partido dos Panteras Negras” (em inglês, Black Panther Party ou BPP), originalmente denominado Partido Pantera Negra para Auto-defesa (em inglês, Black Panther Party for Self-Defense), organização socialista revolucionária fundada pelos es estudantes-ativistas “Bobby Seale” e “Huey Newton” em outubro de 1966, em Oakland, Califórnia]. Ele próprio creditou sua mãe, uma ávida colecionadora de discos, por seu interesse precoce pela música:

“Ela tocava muita música diferente na casa”, disse Bambaataa à agência de notícias canadense Vice, em 2014. “Em um minuto você podia ouvir Soul, como ‘James Brown’ e títulos da ‘Motown’…, e o próximo poderia ser sons Africanos…, e mais sons Pop como Edith Piaf e Barbra Streisand”, relembra.

Clica aqui: “Ojú Obá no Ayê de Oyó” é o enredo Tupy de Braz de Pina

Quando adolescente, foi influenciado pela “Cultura das Street Gangs”, que era particularmente comum em Nova York no final dos anos 1960 e início dos anos 1970, e se juntou aos “Black Spades”, a maior e mais temida organização de rua da cidade. Com mais de 200 membros, os Spades tinham uma reputação merecida de extrema violência, mas também ajudou a proteger comunidades Afro-americanas de ataques racistas e policiou partes do Bronx para conter a onda de drogas e crimes de rua. Tornou-se “Warlord” [uma espécie de “Sargento das Armas”] da divisão do Bronx River conhecida como “Young Spades”. Em 1973, ouviu o pioneiro do HIP-HOP “Kool Herc” [que aniversariou no dia anterior (16/04)] tocando seus “Breakbeats” e, percebendo que tinha muitos dos mesmos discos em casa, fundou a “Bronx River Organization” em 1973, com a intenção organizar festas para a juventude local, como uma alternativa para atividade das street gangs.

Sua experiência na África, o oportunizou a repensar o nome de sua organização, como também seu próprio nome. Começou a se chamar “Afrika Bambaataa Aasim” – adotando o nome do Chefe Zulu “Bhambatha kaMancinza”, depois de assistir ao filme “Zulu” (1964), de Cy Endfield. E Renomeou a Bronx River Organization como a Universal Zulu Nation, e através de suas festas começou a montar um coletivo de DJs, Rappers, Breakdancers e Grafiteiros. Ele estabeleceu duas equipes de RAP: o “Jazzy 5” e a “Soulsonic Force”.

E por meio da criação UNIVERSAL ZULU NATION, em 12 DE NOVEMBRO DE 1973, conseguiu construir um conjunto de normas que contribuíram para a formação do JOVEM LOCAL (inicialmente), desacreditado pela sociedade norte-americana, graças à fundação da Universal Zulu Nation, o berço de nascimento do HIP-HOP. E ele tinha apenas 16 ANOS DE IDADE nessa época!

Dê uma olhadinha: Rei das tesouras, hair stylist Ocimar Castilho conquista famosos com cortes incríveis!

Em 1982, com ajuda do amigo e produtor “Arthur Baker” trouxe à cena musical o single “Planet Rock”, inspirado no “Electro-pop” do grupo alemão “Kraftwerk”, a japonesa “Yellow Magic Orchestra”, além do britânico “Gary Numan”, e também e o “Funk Psicodélico” de “George Clinton” – dando origem a um novo gênero, o “Electro-funk”:

“Queríamos algo que fosse para a cidade e para o centro”, disse Baker ao site Redbull.com. “Queríamos fazer um disco no quAL as pessoas nos tocariam como tocavam Talking Heads, que as pessoas tocariam como o Sugarhill Gang… E isso tinha muito a ver com “Bam” [Bambaataa] , porque Bam estava aberto a isso. Bam definitivamente ultrapassou os limites”, define Baker.

O Afro-futurismo de Planet Rock influenciou frontalmente no surgimento do “House” de Chicago, do “Techno” de Detroit, do “Miami Bass” de Miami, do “Latin Freestyle” [conhecido no Brasil como “Funk Melody”], e no próprio “Funk Carioca” do Rio de Janeiro.

Bambaataa foi EMBAIXADOR CULTURAL HONORÁRIO pela ONU ao lado dos ilustres KRS-ONE, VOLLETTA WALLACE e AFENI SHAKUR, a partir do reconhecimento da CARTA DE PAZ DO HIP-HOP em 2001, que endossou o HIP-HOP como MOVIMENTO CULTURAL PROMOTOR DA PAZ MUNDIAL entre os jovens de todo o Planeta; foi indicado ao PRÊMIO NOBEL DA PAZ em 2010 por seu programa de pacificação no BRONX através dos valores pregados pelo HIP-HOP, além de ter sido em 2013 PROFESSOR VISITANTE a convite da CORNELL UNIVERTY, em Nova York, para organizar o ACERVO DA HISTÓRIA DO HIP-HOP por meio de um valioso material que reuniu 45 mil vinis de sua coleção, fotos e manuscritos.

Vale a pena ver de novo: CHUCK D – O Estadista do HIP-HOP lança o livro “Chuck D Presents: This Day in Rap and Hip-Hop History”

AFRIKA BAMBAATAA levou ao restante da HUMANIDADE LEIGA a importância desse MOVIMENTO iniciado pelos JOVENS INCONSEQUENTES DAS RUAS DO BRONX.

Eu poderia ficar aqui predicando os muitos feitos de BAMBAATAA com todo o prazer, porém isso levaria uma eternidade!! O mais importante disso tudo é que se hoje temos o HIP-HOP como uma potente ferramenta de apoio à CULTURA e à EDUCAÇÃO, facilitando o DIÁLOGO do JOVEM DESASSISTIDO DA FAVELA com a sociedade, jamais poderemos esquecer o nome de AFRIKA BAMBAATAA como a PEDRA FUNDAMENTAL do nosso MOVIMENTO CULTURAL!!

Vida Longa ao Ministro-chefe Zulu Afrika Bambaataa! Vida Longa à Universal Zulu Nation! Vida longa ao Movimento Cultural HIP-HOP!!

Paz e Eterno Respeito!!

 

Clica no play pra ver!

 

Tags: Joia  Horóscopo Carnavalesco  Unidos do Viradouro  Ana Paula Evangelista  Tupy de Braz de Pina  Haitam

 

Por: DJ “Zulu” TR.

Fan Page: Acorda Hip Hop – Trilogia

Comentários estão fechados.