Contribuição negra à arte: Theatro Municipal Palco Livre convidam Paulo Melgaço e Vandelir Camilo em Corpos negros

Vale e Petrobras

Dois homens negros, da área artística, se juntam com a proposta de trazer à tona muitas reflexões e fazer uma contextualização da presença do artista negro no Theatro Municipal. Refletir sobre a importância do Teatro Experimental do Negro para a inserção de afrodescendentes nos corpos estáveis da casa; discutir sobre a trajetória de artistas negros nos corpos estáveis do Theatro Municipal; mostrar a importância da realização de projetos como “Projeto Escola”, “Teatro a um real”, “Formação de plateia” para oportunizar que um novo público acesse a casa de espetáculos.

O melhor pai do mundo, D.A Gastronomia apresenta menu especial de Dia dos Pais

 

 

Todos estes tópicos serão abordados na live da próxima quinta-feira, dia 06 de agosto, às 15h, no Instagram do Theatro Municipal com Paulo Melgaço, Professor e Pesquisador da Escola Estadual de Dança Maria Olenewa e Pós- doutor e doutor em educação pela UFRJ e Vandelir Camilo, Baixo do Coro do Theatro Municipal do Rio de Janeiro e doutorando em Memória Social na UNIRIO.

 

 

Sobre Paulo Melgaço da Silva Júnior

Foto: Amanda Melgaço

 

Pós- doutor e doutor em educação pela UFRJ, possui mestrado em educação, comunicação e cultura pela Uerj. Atua como professor e pesquisador na Escola Estadual de Dança Maria Olenewa desde 1993. É professor colaborador do programa de pós- graduação em ensino das artes cênicas na UNIRIO  e autor de diversos livros, entre eles: Escola Estadual de Dança Maria Olenewa 75 anos: a história que fez estórias, Escola Estadual de Dança Maria Olenewa: um sonho feito em cores, Mercedes Baptista: a criação da identidade negra na dança.

 

Sobre Vandelir Camilo

 

Músico e historiador. É bacharel em canto pelo CBM, Mestre em História Política  pela Escola de Ciências Sociais/CPDOC FGV (RJ). Doutorando no Programa Interdisciplinar em Memória Social, UNIRIO. Pesquisador sobre relações étnico-raciais e intelectuais da diáspora negra.  Se debruça sobre a trajetória do médico negro e professor da Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro: doutor José Mauricio Nunes Garcia Junior (1808-1884) e seu irmão jornalista Antonio José Nunes Garcia, filhos do padre José Mauricio Nunes Garcia.  Autor de livros, artigos e capítulos. Lançou em 2020, o ensaio, necromemória, onde aborda os apagamentos e silêncios relativos à memória social afro-brasileira.

 

 

Serviço:

Theatro Municipal Palco Livre, Vale e Petrobras convidam  Paulo Melgaço e Vandelir Camilo em Corpos negros no Theatro Municipal do Rio de Janeiro

Data: 06 de agosto – quinta-feira

Live às 15h

Instagram: @theatromunicipalrj

Patrocínio Ouro @valenobrasil e @petrobras

 

 

 

 

TAGS: Lazer popular Dra. Virgínia Rezende Horóscopo Alto Astral de 03/08 a 09/08 Laura Finocchiaro lança single “ASFIXIA” Gyselle Soares comemora sucesso Garras do Tigre se filia a Liga LIVRES RJ Intercâmbio cultural entre paises 51 com corpinho de 30 É pra arrasar! Blazer e short jeans Carnaval 2021 de São Paulo foi adiado para maio Cineasta africano Flora Gomes Ubuntu é o enredo da São Clemente Liga Livres Rj Guri bom de samba! João Saldanha é o enredo da Botafogo Samba Clube Lierj e Ação da Cidadania Evolução a adaptação Na boleia do caminhão Canarinhos das Laranjeiras se filia a Liga LIVRES RJ

 

-Cláudia Tisato-

Assessoria de Imprensa

 

 

 

 

Comentários estão fechados.