Eco-friendly: a renovação da moda a partir da consciência sustentável atual

Redução do uso de plástico

O empresário de moda Douglas Rocha traz em suas coleções o conceito ‘eco friendly’ de redução do uso de plástico, humanização da moda e que diz não ao consumismo e ao fast fashion.

“Continuem brilhando”, Carnavalesco Marcus Ferreira se despede da Império da Tijuca

 

 

No mundo inteiro, grandes empresas ligadas à moda como a Burbery, Saint Laurent e a Nina Ricci estão abandonando o uso do plástico em suas peças e embalagens em um esforço de preservação do meio ambiente e de desenvolver uma consciência mais sustentável.

 

No Brasil, o empresário Douglas Rocha é um dos que passaram a abolir ao máximo o plástico de toda a cadeia produtiva, desde a confecção ao envio: “adotei a redução do uso de plástico, substituindo outros materiais biodegradáveis, um uso consciente do plástico e o mínimo consumo deste material na confecção das minhas peças e também das embalagens que vão pelo correio, me adaptando ao consumo consciente das matérias primas no quesito sustentabilidade, disponibilidade e humanização da minha marca”. 

Mais linda do que nunca, Denise Dias seca 4 kgs com dieta que conquistou famosas

 

 

Além de suas peças, Douglas tem vendido em sua loja online, através das redes sociais, sacolas ecológicas (as chamadas ecobags) e posiciona-se favorável a um melhor uso dos recursos naturais e humanos sem a pressão do consumismo: “meu conceito de moda é totalmente contra a exploração e a degradação. Enquanto vemos grandes marcas de fast fashion até sendo processadas por uso de mão de obra escrava para atender às demandas do mercado, eu busco o equilíbrio e a sustentabilidade na contramão do sistema, trazendo a originalidade e o uso consciente de recursos em cada peça, com um conceito eco-friendly, amigo do meio ambiente e da vida”. 

“Minha história”, documentário mostra bastidores da turnê da YouTuber Dinah Moraes

O empresário afirma que a moda deveria ser menos focada em quantidade e consumo e mais no conceito artístico e na expressão independente de estação: “Sou a favor de uma moda consciente e atemporal. Você não precisa consumir vorazmente para estar na moda, comprando diversas coisas para satisfazer a vontade de um sistema. A moda não é bem por ai, não tem apenas a ver com o consumo. Não penso em coleções sazonais, que servem apenas para inverno ou verão, mas para todas as estações. A moda de certa forma anda sofrendo com a desvalorização da arte e do conceito por trás de cada peça. Acho que nos anos 90 com a entrada maciça do fast fashion a moda começou a agonizar seus últimos momentos, por assim dizer, dando lugar a opções processadas para as massas”.

 

 

 

 

 

 

TAGS: Beleza e suas consequências  Horóscopo Alto Astral – semana de 20/05 a 26/05  Quitéria Chagas continua como rainha de bateria do Império Serrano  Tia Maria do Jongo ganha Prêmio Sim à Igualdade Racial 2019  Caroline Lima segue na União de Jacarepaguá  2 anos de Samba sem Fome  São Clemente apresenta sambas concorrentes no dia 10/08  Ex-chiquitita fala sobre a carreira  Tarcizo Zanon se desliga da Estácio de Sá  Chef de Cozinha Márcia Gomes passa dia no Spa  Jojo todynho volta ao palco e lota show  Uma visão nua e crua sobre empreendedorismo  Blusa de tricô, tendência de moda para todas as idades  Famosos marcam presença em festa  KONDIMA – sobre travessias  Centro Cultural Light conta “Boom”  Mostrinha Livre – no CCBB RJ  A falta da liberdade pode dar fim a um relacionamento  Em breve, ‘Uma Pitada no Prato’, com a chef de cozinha Márcia Gomes

 

-Fabiano de Abreu-

Assessor de Imprensa

Comentários estão fechados.