Quitéria Chagas

Atriz, Modelo e Dançarina

Eu arraso. Não sei dizer não me sinto arrasar, pode não parecer mas sou tímida. Arraso porque as pessoas dizem que arraso; arraso de estímulos… Rs.

Leia também

Lady Chokey

Roberta Freitas

Gil Jung

Veja também: Nossa, Arraso! Angela Bismarchi

 

((( Conheça abaixo um pouco da história de Quitéria Chagas )))

A eterna musa, consagrada como uma das mais importantes rainhas de bateria do carnaval carioca, a atriz e bailarina, Quitéria Chagas foi uma das personalidades mais respeitadas do mundo do carnaval carioca. Por cinco anos, foi rainha de bateria da Escola de Samba Império Serrano.

Deixou o mundo do samba em 2014, quando decidiu engravidar e se dedicar a novas atividades, mas ano que vem, estará de volta ao posto de rainha de bateria da Império, para contagiar a Marquês de Sapucaí, no Carnaval de 2019, com toda sua graça, beleza e samba no pé.

O interesse pelos temas relacionados à maternidade despertou a partir do resultado de sua própria experiência. Quitéria é mãe da pequena Elena de três anos, fruto do seu casamento com o empresário italiano Francesco Locati e deu à luz em casa com parto natural humanizado assistido pela equipe. A partir daí, Quitéria sentiu necessidade de compartilhar essas experiências com outras mães e futuras mamães.

Ela mergulhou no novo desafio profissional. Formada em Doula pelo Instituto Gama, Quitéria se dedica ativamente na nova profissão. “Doula não é acompanhante, é uma profissional que promove apoio emocional e métodos não farmacológicos de alívio das dores da gestação, parto e pós-parto” afirma a eterna musa, Formada em psicologia.

A carioca da Tijuca, lançou seu site – www.quiteriachagas.com – com objetivo de orientar as futuras mamães sobre temas como gestação e pós-parto e explica alguns dos benefícios de um parto humanizado para a mãe e o bebê. “Em um parto humanizado, o foco é o bem-estar físico e emocional da mãe e do bebê. O meu objetivo é ajudar a conscientizar a população sobre a importância do início da vida desde a concepção até a primeira infância” destaca a Doula, que durante a gestação engordou mais de 30 quilos e durante a amamentação já eliminou todos eles.

Aos 38 anos Quitéria não descuida da beleza e da boa forma ….

Após ter vivido momentos bem difíceis durante sua gestação na faculdade, processando a instituição, para ter direito de estudar e amamentar livre demanda, agora tem a seu favor a Lei Quitéria Chagas, mas ainda precisa ser aprovada pelo Senado, para se tornar Lei.

A Lei é autoria do deputado federal Jean Wyllys e, por unanimidade, o projeto de lei 2350/2015, foi aprovada na Câmara dos Deputados.

Só no aguardo do Senado. Como não aprovar uma lei tão importante para as mulheres?

Jean colocou na lei que a maioria dos estudantes no Brasil, segundo dados estatísticos são mulheres, ela são as responsáveis por tentar melhorar a renda das famílias com seus estudos e quando param de estudar para cuidar dos bebês, a renda da família diminui, auxilia a caírem na criminalidade, e a família também. A cada dia que passa aumenta o número de presidiárias grávidas.

A medida garantirá que estudantes grávidas tenham direito a continuar seus cursos sem ter que sacrificar a presença e os cuidados desde o oitavo mês de gestação até o sexto mês de vida do bebê.

O projeto de lei garante direitos básicos para as estudantes, como:

– Que, do oitavo mês de gestação até o sexto mês de vida do bebê, a estudante, de qualquer nível ou modalidade de ensino, em estado de gravidez, puerpério ou lactação em livre demanda (amamentação), tenha direito ao “regime domiciliar de ensino”, podendo realizar provas e receber instruções em casa, com direito a tutoria, acompanhamento pedagógico e utilização de vídeo-aula (quando for possível);

– Que, em casos excepcionais e devidamente comprovados por um laudo médico, antes e depois do parto, o período autorizado de repouso seja aumentado, sendo a estudante incluída no regime de exercícios domiciliares;

– E que, neste período especial, fique garantido o recebimento de eventuais bolsas acadêmicas a que essas estudantes façam jus.

A proposta do deputado federal Jean Wyllys é importante sobretudo para garantir que mães que engravidem ou tenham filhos não sejam obrigadas a se afastarem dos estudos ou recebam faltas por consequência da gravidez, mas tenham acesso às tutorias necessárias. Ele afastaria também a hipótese de interromper o período de amamentamento para o retorno mais imediato à rotina de aulas.

É uma proposta que, consciente de um histórico de prejuízo das mães, das mulheres, quanto às oportunidades de estudo por conta da maternidade, busca instituir medidas que lhes deem o mesmo acesso a essa oportunidade fundamental que aos homens.

 

 

 

 

TAGS: A crise do Carnaval Carioca só aumenta  Denise Dias posa sexy em DubaiConcurso da Corte Real do Carnaval Rio 2019 é prorrogadaAna Paula Evangelista sobe no palco em show de Carlinhos Maia  Lexa chega causando no ensaio de rua da Mocidade  Mês da consciências negraA gola V caiu no gosto dos homens  Império Serrano promove Roda de Conversa dos Passistas  Parceria de Igor vence o concurso de samba-enredo da TradiçãoEspanha já tem a sua corte de carnaval Estácio participa de encontro internacional de jovens do Cone Sul Independentes de Olaria inicia ensaios de comunidade no sábado, 17UPM completa 61 anos com feijoada solidária e coroação da rainha de bateria Lexa é a nova musa da MocidadeRoberta Espinosa comemora parceria com Universal Music  Sítio Shalon apresenta os melhores do ano 2018!  Meia colorida é um dos acessórios em alta na moda masculina Vem aí a entrega do Troféu Intendente Magalhães 2018

 

– Julyana Caldas-

JC Assessoria de Imprensa

Comentários estão fechados.