Leda Risse se inspira no momento em que o Brasil e o mundo vivem a pandemia do coronavírus para criar arte em tecidos

Artista Plástica

Depois de brilhar em exposição em Paris, conseguindo a medalha de prata por seus trabalhos pincelados em suas telas, no “France Asia Cultures – le point des arts”, no início deste ano, muito antes da pandemia do coronavírus desestruturar o mundo, Leda Risse, esta brasileira de nascimento, mas vivendo há 20 anos na Suíça, encontra-se em isolamento social, mas sem deixar a sua criatividade de lado. Veja seus trabalhos em: ledarisse.com \  info@ledarisse.com . A artista plástica criou uma série de estampas em tecidos com o objetivo de mostrar que, mesmo em tempos de crise, o artista não para de criar, e deixar de transbordar todo o seu sentimento a este momento em que vivemos.

Doar faz bem, Agustin Fernandez faz doação de alimentos e roupas para comunidades de São Paulo

 

 

Como todo artista que se torna uma vez do seu tempo e de uma sociedade, Leda teve a sua inspiração oriunda do medo das pessoas e a guerra contra um inimigo comum a todos, neste momento, o coronavírus (COVID-19). E deixa clara as suas ideias – “O que me inspirou foi pensar que diante de tanta dificuldade, é na guerra que se formam os grandes soldados”.

Nestes trabalhos em tecidos, a ideia da artista, enquanto se encontra em isolamento social, foi o de melhorar os quadros que vem pintando. Daí, a ideia de criar estampas. Com isso, Leda observou que poderia melhorar ainda mais os seus quadros, saindo da pintura das telas para os tecidos.

Secretaria de Estado de Trabalho e Renda: cadastro online para profissionais da cultura

 

 

Leda criou estas estampas inspirada na cura divina, nas dificuldades do Brasil e do mundo, em virtude da pandemia do coronavírus, na liberdade, na saúde do povo, na prosperidade, no amor. Em alguns tecidos, a inspiração dos desenhos está em algo transcendental, numa esperança divina, onde a resolução para os problemas do mundo está em Deus.

Leda é uma artista que está em constante estado de transformação e muito antenada ao seu tempo. Se não fosse pelo coronavírus, a artista iria expor suas telas em salões de artes na Bélgica e EUA, porém teve que frear suas viagens. Casada com Thierry Risse, e mãe de três filhos, revela que o seu talento como artista plástica começou bem cedo. Aos 10 anos de idade, começou a pintar desenhos abstratos, característica que carrega até os dias atuais. Ainda criança, usava as toalhas de mesa, tecidos, panos de prato e cortinas como telas para a sua inspiração.

“Lins solidária”, Lins Imperial distribui mais de 300 cestas básicas para comunidade do Complexo do Lins

Mediante a este momento negro em que o mundo está vivendo, a artista aproveita o seu tempo para criar. O futuro, segundo ela está nas mãos de Deus. Porém, existe um desejo: a de que suas estampas possam estar em alguma coleção de roupas criadas por algum estilista. E deixa um recado para todos que, como ela, sonham em ser artistas e em viver num mundo melhor – “não desistam dos seus sonhos, por maior que sejam os obstáculos”.

 

 

 

 

TAGS: Brincadeiras para seduzir e amar “Quarentena do bem” Moda: camisa social preta e calça cinza Horóscopo Alto Astral de 06/04 a 12/04 Make gratuita! Histórias por Telefone Rose Nóbrega lança música Sambódromo recebe moradores de rua Mão na massa! Botafogo Samba Clube “Unidos Pelo Império” É preto no branco! O que é ser uma “Camgirl” Moda: calça jeans cintura alta e camisa xadrez Site e justificativas da Liesb Dicas de treino durante o isolamento do Coronavírus Maquiagem do outono/inverno 2020

 

-Clilton Paz-

Assessor de imprensa \ Cristal Comunicação

 

 

 

 

 

 

Comentários estão fechados.